Saúde Bucal e Cirurgia Bariátrica

Postado por Suzanclin em 25/out/2021 - Sem Comentários

Talvez você nunca parou pra pensar nessa relação mas sabia que existe uma relação bem importante entre a sua saúde bucal e a cirurgia bariátrica? Pois é, e nós escolhemos este Dia Nacional da Saúde Bucal pra falar sobre isso com vocês.

Sabemos que a saúde bucal é extremamente importante na vida de qualquer pessoa, porque ela influencia muito no modo com que você se alimenta e digere os alimentos, e justamente por isso alguns pacientes de cirurgia bariátrica necessitam ter um acompanhamento mais próximo de um dentista. Por exemplo, pacientes que tem mais de um dente perdido na mesma região, tem a passagem do alimento livre, impossibilitando que o ele mastigue, o fazendo optar por opções pequenas (podendo não ser suficiente).

Além disso, pacientes que comem errado normalmente tem uma saúde bucal prejudicada. A alimentação com alto teor de alimentos açucarados, como o leite condensado, vai ter uma consequência na saúde bucal, especialmente ligado à cárie dentária.

Vamos agora falar um pouco sobre quais cuidados você deve ter no pré e no pós-cirúrgico.

Pré-cirúrgico

O alto consumo de carboidratos e açúcares aliados a uma higiene bucal deficitária são fatores determinantes de problemas como cáries, problemas de canal e periodontais (osso e gengiva) podendo levar a futuras extrações dentárias e consequente perda da função mastigatória. Além disso, o diabetes, doença comumente associada à obesidade, favorece o desenvolvimento da doença periodontal com acentuada perda de dentes. Portanto é claro que a população obesa possui disfunções bucais com mais frequência que a população não obesa.

Por isso, é muito importante, desde o início do acompanhamento pré-operatório do paciente, a avaliação clínica, adequação de meio e orientações de higiene bucal nos pacientes que serão submetidos ao procedimento de redução de estômago. Mais importante ainda é quando a equipe médica trabalha em conjunto com o Dentista e o Nutricionista, áreas diretamente relacionadas com a ingestão de alimentos.

O acompanhamento pré-operatório se mostra importante também pois pacientes que têm baixa saúde bucal costumam preferir por alimentos líquidos. Nesse caso são oferecidos alimentos mais pastosos, com a quantidade suficiente de nutrientes. Além disso, é estimulada a mastigação.

Dicas para antes da cirurgia

  • Procurar um profissional de sua confiança, ou da equipe multidisciplinar que verificará as condições de saúde oral;
  • A avaliação inicial deve levar em conta a presença de cáries, focos de infecção (problemas periodontais e endodônticos), extrações e ausências dentárias;
  • Seguir com disciplina todas as recomendações passadas;
  • Iniciar o tratamento dentário assim que qualquer irregularidade for detectada.

Pós-cirúrgico

A mastigação incorreta é uma das causas de complicação para os pacientes após a cirurgia bariátrica, nosso cérebro leva até 20 minutos para entender que não estamos mais com fome. É necessário ter atenção no momento da alimentação e evitar atos como comer em frente à televisão, por exemplo.

Após a cirurgia é muito comum o relato de boca seca e dentes ásperos, assim como áreas irritadas e descamadas de tecido mole. Isso ocorre devido à diminuição da ingestão de líquidos nos primeiros meses pós cirurgia, até que o paciente se acostume com sua nova dieta.

Ingerir água é muito importante para a manutenção da fluidez da saliva. Quando o paciente bebe menos água, a saliva fica pastosa e dificulta a higienização adequada do meio bucal. Essa condição de diminuição do fluxo salivar favorece a irritação da mucosa bucal, que se manifesta como áreas avermelhadas, descamadas e doloridas, seja na gengiva, língua ou mucosa da bochecha. Com a menor produção de saliva, também ocorrem mudanças na capacidade de neutralização dos ácidos produzidos pelas bactérias cariogênicas e maior possibilidade de acúmulo de placa bacteriana e desmineralização da superfície do esmalte.

O acúmulo de placa também está relacionado com a dieta, no primeiro mês a dieta é menos consistente, o que diminui o atrito do alimento e a remoção mecânica grosseira da placa bacteriana que se acumula na superfície dental. Até que os alimentos sejam reintroduzidos e a consistência da alimentação deixe de ser líquida e/ou pastosa, o paciente vai relatar que os dentes estão ásperos.

Dicas para depois da cirurgia

  • É necessário reaprender a mastigar e triturar os alimentos devido à nova condição estomacal, muito reduzida. Proteínas e carnes são a base da alimentação no pós-operatório. Boa dentição resulta em boa mastigação para alimentos mais consistentes;
  • Pacientes que perderam parcialmente os dentes deverão buscar a reabilitação para a efetiva mastigação;
  • Não descuide! Por ter que fazer refeições com maior frequência e mais prolongadas, pacientes operados podem ter maior risco de cáries. Os dentes precisam estar em ordem, pois serão utilizados de maneira mais efetiva;
  • Usuários de prótese total, devido ao emagrecimento, deverão fazer reajustes. A prótese tende a folgar e dificultar a mastigação;
  • Criar o hábito de consultar o dentista regularmente (duas vezes ao ano). Prevenção é fundamental.

Qual o papel do Dentista na sua nova realidade?

Como já deu pra perceber o dentista é um grande aliado para o seu processo bariátrico também. Ele vai te orientar e ajudar a manter sua saúde bucal em dia o que vai ajudar também no pós-cirúrgico. Veja qual o papel deste profissional na sua nova realidade:

  • Adequar o meio bucal por meio de raspagens e polimento dental;
  • Identificar e tratar lesões de cárie;
  • Orientação de higiene: técnicas de escovação, aplicação tópica de flúor e prescrição de enxaguatório bucal sem álcool e utilização do fio dental;
  • Esclarecer o paciente sobre as alterações bucais decorrentes da mudança alimentar do paciente: boca seca, gengiva irritada, áreas descamadas, etc;
  • Orientar o paciente quanto à ingestão de líquidos e a relação da hidratação com a qualidade da saliva;
  • Exame de tecidos moles para verificar lesões pré-existentes;
  • Acompanhamento radiográfico das superfícies interproximais, em especial de molares e pré-molares após a realização do procedimento cirúrgico;
  • Acompanhamento clínico do paciente após a cirurgia, com revisões periódicas, em especial durante o período de mudança de dieta (líquida, pastosa, branda) até que ela se normalize.

Ficou alguma dúvida? Converse com seu cirurgião bariátrico e peça mais informações sobre o assunto.
Para saber como funciona a cirurgia bariátrica conosco, clique aqui.

Suzanclin Vivalight
Unidades em Suzano, Mogi e Vila Guilherme
Nos acompanhe no facebook,  instagram e no youtube